quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Deus em questão

Há livros que contribuem para acúmulo cultural de quem os lê, como também há aqueles que adicionam mais conhecimento histórico e tantos outros que nos forçam despretensiosamente (ou não) a filosofarmos sobre algum assunto. Há autores felizes em seus objetivos, como também há os frustrados. Se fôssemos analisar o livro "Deus em questão" e seu autor, o Dr. Armand M. Nicholi Júnior, o mínimo que poderíamos dizer é que a obra é excepcional e o escritor, um dedicado e incansável pesquisador.

    Depois de 25 anos, o autor da obra, psiquiatra e professor da Escola de Medicina de Havard, expõe brilhantemente como o Pai da Psicanálise, Sigmund Freud, e um dos mais proeminentes pensadores cristãos do século XX, C. S. Lewis, compreendiam o mundo. Tendo cosmovisões idênticas, os dois pensadores iniciam a vida, a carreira acadêmica e a fase adulta. Os dois partilhavam a dor da existência, um pessimismo quase absoluto envolvia suas vidas, até que algo começa a transformar C. S. Lewis e, aos poucos, sua percepção sobre a vida muda radicalmente.

    O escritor coloca-se como expectador de um debate profundo e dificílimo entre Freud, ateu convicto, e Lewis, ex-ateu. Tentando não se envolver muito na discussão, o autor da obra expõe em paralelo os pensamentos de cada protagonista a respeito de Deus, do amor, do sexo, da morte e da questão mais inquietante da Humanidade: qual a razão da nossa existência?

    A obra transcende o material, faz-nos analisar e criticar a subjetividade da existência, a verdadeira dor do "não-saber", a tristeza pungente da certeza sobre a brevidade da vida, a ansiedade pulsante do encontro com o fim para a descoberta do "depois". Não há como ficar emocionalmente incólume ante tantas dúvidas deixadas pelas cartas de Freud, tanto quanto sobre a intrigante felicidade que transbordava pelas feições e atitudes de Lewis, quando este mudou sua maneira de enxergar a própria existência.

    O livro é fascinante e tão bem escrito que os menos atentos poderão não perceber que a obra tanto começa quanto termina com a morte dos protagonistas. Discorre sobre o nascimento e os fatos mais marcantes sobre a vida de cada um deles e, somente depois, o autor expõe o que cada um deles pensava a respeito da própria vida. Com características acadêmicas, a obra contribui também para despertar no leitor a crítica sobre algumas questões muitas vezes consideradas encerradas, como o ateísmo convicto de Freud.

     Livro para ser lido sem preconceitos religiosos, analisado, criticado, debatido e para convencer o leitor a não ficar "em cima do muro", pois este é frequentemente e sutilmente desafiado a abraçar, em definitivo, a cosmovisão que mais lhe convém, a que mais se identifica. O apreciador da obra poderá ter algumas surpresas, como também grandes, interessantes e boas perturbações.

Título: Deus em questão: C.S.Lewis e Freud debatem Deus, amor, sexo e o sentido da vida.
Autor: Armand M. Nicholi Júnior
Gênero: Apologética, Psicologia, Teologia
Editora: Ultimato
Formato: 16 X 23
Páginas: 288
Preço na editora: R$ 46,80

O que disseram:
“Esta elegante e convincente comparação entre a visão de mundo de Freud e a de C. S. Lewis é uma oportunidade de reflexão dialógica sobre as mais importantes questões que a humanidade sempre se fez: Deus existe? Ele se importa comigo? Este livro destina-se a todos que buscam, sinceramente, respostas sobre a verdade, o sentido da vida e a existência de Deus.” - Francis Collins, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas em Genoma Humano, EUA.

“Armand Nicholi acertou na mosca com essa história irresistível e tão bem contada sobre as duas âncoras – e o dilema – do pensamento moderno. A partir da vida desses dois verdadeiros gênios, podemos identificar o nosso próprio desejo e busca.” - Ken Burns, diretor do premiado documentário The Civil War e do histórico Jazz, megassérie apresentada no Brasil pelo canal GNT.

“Alguns livros são equilibrados, acadêmicos e objetivos. Outros são desafiadores e comoventes e prendem a nossa atenção. Quando um livro consegue reunir tudo isso, torna-se simplesmente inesquecível. Deus em Questão é assim. É tão empolgante quanto um romance, com uma diferença: nós escrevemos o final.” - Peter Kreeft, PhD, professor de filosofia do Boston College, autor de “Buscar Sentido no Sofrimento” (Edições Loyola) e “O Diálogo” (Mundo Cristão).

“Assisti a algumas das aulas impressionantemente concorridas de Armand Nicholi em Harvard, que foram uma das experiências mais gratificantes da minha vida. Depois de vinte e cinco anos de ensino e pesquisa sobre Freud e Lewis, o autor coloca o resultado à disposição de todos. Este livro mudará a sua vida.” - Dr. Timothy Johnson, editor da área médica do ABC News.

“Deus em Questão é profundo e fascinante. Quem procura o verdadeiro significado da vida precisa ler este maravilhoso livro.” - Ralph Larson, presidente e diretor executivo da Johnson & Johnson.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por passar por aqui! É uma honra ter sua opinião.