sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Médici inferior a Marighella?

No governo de Médici, a expansão na infraestrutura brasileira superou todos os governos anteriores que o Brasil já teve. O desenvolvimento econômico crescia a olhos vistos. A educação no Brasil era de primeira classe. A repressão foi grande, mas por causa do contexto histórico (comunistas tentando a todo custo dominar o país) não é de se estranhar a repressão. 

Não querendo defender a violência, mas compreendendo que o país vivia uma tensão política profunda, e que os terroristas queriam destruir nossa nação para implantar um regime ditatorial que favorece a miséria, a corrupção, o enriquecimento ilícito das lideranças ditatoriais comunistas (todo líder comunista é bilionário) e que iria privar a população de construir sua própria história, de escolher sua própria religião, de escolher sua profissão (vide China, onde as pessoas não escolhem, mas quem escolhe se você vai trabalhar 15 horas por dia numa fábrica é o governo chinês), de oferecer aos seus filhos sua própria educação, nada mais coerente do que reprimir toda essa gente que queria acabar com nosso país. 

Agora me vem este período "das trevas" no Brasil, em pleno século XXI, escolas trocando o nome das instituições para aplaudir terroristas e ensinar às crianças e aos adolescentes uma "história" deturpada. Estou estarrecida com a mudança do nome de uma escola pública de Salvador, que antes se chamava Presidente Médici, para Marighella!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Quem foi Marighella? Terrorista comunista que NADA FEZ pela sociedade, diferente de Médici, que mesmo reprimindo quem não prestava, fez E MUITO pela nação, principalmente pela EDUCAÇÃO, por isso o nome dele está estampado em tantas escolas pelo Brasil afora. DIGA NÃO À DETURPAÇÃO DA HISTÓRIA DESTE PAÍS!

Tenho nojo de quem defende terrorista e comunista! Aliás, terrorista já é sinônimo para comunista.

Se você se considera comunista e não defende nenhuma das coisas citadas no segundo parágrafo, meu filho, pare de ser um IDIOTA ÚTIL (pesquise sobre o termo), saia dessa.

O absurdo está estampado em diversos sites jornalísticos. Aqui um link: http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2013-12-12/em-salvador-colegio-presidente-medici-decide-trocar-nome-para-carlos-marighella.html

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Estado de letargia

Letargia-pode-ser-curada-com-remédios-naturais1 Se o desânimo estiver a atacar sua saúde física e mental, a letargia pode ser curada com remédios naturais, melhorando a fraqueza, o cansaço 24 horas por dia, a sonolência, e a indiferença ao meio e às pessoas.
Os sintomas são alterações no apetite, dor em diferentes partes do corpo, baixa concentração, e dificuldade, tanto em cumprir as atividades da rotina diária, quanto em adormecer.
A depressão é uma das causas principais da condição letárgica. Mas não só. Sarampo, diabetes, pressão arterial baixa, constipação, disfunções na tireóide, excesso de drogas e de álcool, também a provocam.
Para fazer o tratamento caseiro, o mais aconselhável é beber chá de manjericão santo. Ferva dez folhas no equivalente a um copo de água. Beba quente, todos os dias.
Se possível, tome um banho quente quando sentir-se com a energia em baixo, vai revigorar o organismo.
Todos os dias, beba um copo de suco de toronja, é extremamente útil. Assim como um copo de suco de limão fresco, sem açúcar.
Beba chá preto. Irá reavivar as energias.
Uma ótima opção é a massagem com óleos essenciais. Utilize os óleos de eucalipto e alecrim. Clique aqui para saber como fazer auto massagem.
Para acabar com a letargia, uma das melhores formas é a prática de exercícios físicos, e também, o consumo de muitas frutas, legumes e grãos, como as amêndoas e a castanha de cajú.
Dê preferência, também, a alimentos fontes de tiamina, a vitamina B1. A vitamina B1 converte os carboidratos em energia para os músculos, e para o sistema nervoso. Poderá encontrá-la nos ovos, aspargos, couve, couve-flor e na laranja.
E evite comida enlatada, refrigerantes e alimentos gordurosos.
É preciso considerar, ainda, que uma pessoa pode sentir-se letárgica por estar envolvida em situações desinteressantes. Invista tempo em você mesmo, e pesquise atividades que poderíam deixá-lo mais animado com a vida.

Extraído de: http://www.outramedicina.com/767/letargia-pode-ser-curada-com-remedios-naturais

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Uma carta

O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida (e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada), o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo. Estas coisas, pois, vos escrevemos para que a nossa alegria seja completa.

Ora, a mensagem que, da parte dele, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma. Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.

Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro. Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade. Aquele, entretanto, que guarda a sua palavra, nele, verdadeiramente, tem sido aperfeiçoado o amor de Deus. Nisto sabemos que estamos nele: aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou.

Amados, não vos escrevo mandamento novo, senão mandamento antigo, o qual, desde o princípio, tivestes. Esse mandamento antigo é a palavra que ouvistes. Todavia, vos escrevo novo mandamento, aquilo que é verdadeiro nele e em vós, porque as trevas se vão dissipando, e a verdadeira luz já brilha. Aquele que diz estar na luz e odeia a seu irmão está nas trevas. Aquele que ama a seu irmão permanece na luz, e nele não há nenhum tropeço. Aquele, porém, que odeia a seu irmão está nas trevas, e anda nas trevas, e não sabe para onde vai, porque as trevas lhe cegaram os olhos.

Filhinhos, eu vos escrevo, porque os vossos pecados são perdoados, por causa do seu nome. Pais, eu vos escrevo, porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevo, porque tendes vencido o Maligno. Filhinhos, eu vos escrevi, porque conheceis o Pai. Pais, eu vos escrevi, porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o Maligno.

            Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente.

            Filhinhos, já é a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também, agora, muitos anticristos têm surgido; pelo que conhecemos que é a última hora. Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos. E vós possuís unção que vem do Santo e todos tendes conhecimento. Não vos escrevi porque não saibais a verdade; antes, porque a sabeis, e porque mentira alguma jamais procede da verdade. Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho. Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem igualmente o Pai. Permaneça em vós o que ouvistes desde o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis vós no Filho e no Pai. E esta é a promessa que ele mesmo nos fez, a vida eterna. Isto que vos acabo de escrever é acerca dos que vos procuram enganar. Quanto a vós outros, a unção que dele recebestes permanece em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é falsa, permanecei nele, como também ela vos ensinou. Filhinhos, agora, pois, permanecei nele, para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança e dele não nos afastemos envergonhados na sua vinda. Se sabeis que ele é justo, reconhecei também que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele.

            Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo. Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é. E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro. Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei. Sabeis também que ele se manifestou para tirar os pecados, e nele não existe pecado. Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.

            Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém; aquele que pratica a justiça é justo, assim como ele é justo. Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio. Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo. Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus. Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo: todo aquele que não pratica a justiça não procede de Deus, nem aquele que não ama a seu irmão. Porque a mensagem que ouvistes desde o princípio é esta: que nos amemos uns aos outros; não segundo Caim, que era do Maligno e assassinou a seu irmão; e por que o assassinou? Porque as suas obras eram más, e as de seu irmão, justas. Irmãos, não vos maravilheis se o mundo vos odeia. Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos; aquele que não ama permanece na morte. Todo aquele que odeia a seu irmão é assassino; ora, vós sabeis que todo assassino não tem vida eterna permanente em si. Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos. Ora, aquele que possuir recursos deste mundo, e vir a seu irmão padecer necessidade, e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade. E nisto conheceremos que somos da verdade, bem como, perante ele, tranqüilizaremos o nosso coração; pois, se o nosso coração nos acusar, certamente, Deus é maior do que o nosso coração e conhece todas as coisas. Amados, se o coração não nos acusar, temos confiança diante de Deus; e aquilo que pedimos dele recebemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos diante dele o que lhe é agradável. Ora, o seu mandamento é este: que creiamos em o nome de seu Filho, Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o mandamento que nos ordenou. E aquele que guarda os seus mandamentos permanece em Deus, e Deus, nele. E nisto conhecemos que ele permanece em nós, pelo Espírito que nos deu.

            Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora. Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo. Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo. Eles procedem do mundo; por essa razão, falam da parte do mundo, e o mundo os ouve. Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus nos ouve; aquele que não é da parte de Deus não nos ouve. Nisto reconhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro.

            Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é, em nós, aperfeiçoado. Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu o seu Espírito. E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus. E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele. Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora todo o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. Nós amamos porque ele nos amou primeiro. Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. Ora, temos da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão.

            Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido. Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: quando amamos a Deus e praticamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos não são penosos, porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus? Este é aquele que veio por meio de água e sangue, Jesus Cristo; não somente com água, mas também com a água e com o sangue. E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. Pois há três que dão testemunho no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra: o Espírito, a água e o sangue, e os três são unânimes num só propósito. Se admitimos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maior; ora, este é o testemunho de Deus, que ele dá acerca do seu Filho. Aquele que crê no Filho de Deus tem, em si, o testemunho. Aquele que não dá crédito a Deus o faz mentiroso, porque não crê no testemunho que Deus dá acerca do seu Filho. E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida. Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus. E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito.

            Se alguém vir a seu irmão cometer pecado não para morte, pedirá, e Deus lhe dará vida, aos que não pecam para a morte. Há pecado para a morte, e por esse não digo que rogue. Toda injustiça é pecado, e há pecado não para morte. Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca. Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno. Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna. Filhinhos, guardai-vos dos ídolos.

João

domingo, 27 de outubro de 2013

Jesus Cristo é Deus


يسوع المسيح هو الله


ونحن نعلم أيضا أن ابن الله قد جاء وأعطانا فهم الاعتراف صحيح، ونحن في الحقيقية، في ابنه يسوع المسيح. هذا هو الإله الحق والحياة الأبدية. احفظوا أنفسكم من الأصنام

1ª Jo. 5.20,21 

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

A Interpretação dos Sonhos

A Interpretação dos Sonhos, de Sigmund Freud, editada pela IMAGO, em edição comemorativa pelos 100 anos da publicação, é uma obra de destaque no meio de tantas outras do Pai da Psicanálise. Nesta publicação há todos os prefácios até a oitava edição, e com prefácio à terceira edição da língua inglesa, escritos pelo autor. Durante toda a obra, o leitor vai se deparar com diversas notas de rodapé, muitas vezes acrescentadas depois das revisões de cada edição. No livro, o leitor vai perceber como a corrente freudiana atua na interpretação dos sonhos e como estes têm valor para a psicanálise.

Na primeira parte do livro, Freud explica teoricamente de onde surgem os sonhos, qual o sentido moral deles, teorias do sonhar, a relação dos sonhos com a vida de vigília, estímulos externos, internos, orgânicos e fontes psíquicas que estimulam a produção dos sonhos. No final, há dois pós-escritos, um de 1909 e outro de 1914. O que me chamou bastante atenção foi a decepção latente e continuamente descrita por parte de Freud com relação aos seus colegas de profissão, ele se sentia desprezado, pois seus pensamentos quanto ao assunto muitas vezes foi mal interpretado ou distorcido. No decorrer das edições, verificamos que a situação muda de figura, e ele vai explicando que sua teoria está sendo bem mais aceita pela comunidade científica do que em anos anteriores.  

Na segunda parte, o psicanalista relata um sonho e como ele o interpretou. Adiante, descreve vários relatos de sonhos distorcidos, como cenas em que o sonhador está despido, cenas de mortes de pessoas queridas, explica sobre os sonhos mais comuns que ocorrem e como fatos de nossa infância interferem em nossos sonhos e contribuem com nossa forma de encarar o mundo, inclusive como podem influenciar em patologias psíquicas. Em seguida, Freud discorre sobre todo o trabalho de condensação, deslocamento, meios de representação dos sonhos, o significado dos símbolos, e todo o livro gira em torno de diversos exemplos.

A obra é interessante para leigos no assunto (como eu) porque nela podemos compreender um pouco sobre o que pensa o fundador da psicanálise, e porque seus pensamentos foram fundamentais para o desenvolvimento da psicologia e da psicanálise do século XX. Lembrando que é uma obra acadêmica, e que para aqueles que não se interessam na profundidade das pesquisas sobre o assunto, o livro acaba se tornando enfadonho e desinteressante. Muito bom para analisarmos nossos próprios sonhos e tentarmos entender os motivos, as razões para tantas de nossas ações.

Título: A Interpretação dos Sonhos
Autor: Sigmund Freud
Editora: IMAGO
Gênero: Psicanálise/psicologia
Páginas: 616p.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Novíssima Gramática da Língua Portuguesa

A Novíssima Gramática da Língua Portuguesa, de Domingos Paschoal CEGALLA, nunca me decepcionou. Comprei a 48ª edição, mas lembro-me de uma edição antiga pela qual eu estudava na época do Ensino Fundamental, e cujos ensinos ajudaram minha mãe a passar em um concurso público.

Com a já presente nova ortografia da língua portuguesa, a gramática é bem explicativa, com exercícios de fixação de conteúdo de alto nível. É uma gramática para quem de fato pretende estudar português. É acessível a todas as pessoas que têm compromisso e dedicação com os estudos, independente da idade, recordando mais uma vez que eu aprendia por este autor, em edição mais antiga, entre os meus 12 e 16 anos.

Estudei praticamente toda a gramática para um concurso público e não me arrependi. O conteúdo dela é profundo, didático e sistemático. Excelente para quem deseja escrever melhor, analisar a fonética da língua portuguesa, sua morfologia, semântica, sintaxe e estilística. Presente na vida de milhares de brasileiros desde sua primeira publicação, em 1964, a obra preocupou-se em manter-se atualizada durante todos estes anos, fazendo jus ao primeiro termo do seu título: “novíssima”. Acredito ser a melhor gramática atualmente no mercado brasileiro.

Obra indispensável para estudantes da língua portuguesa, concurseiros, escritores e jornalistas.

Título: Novíssima Gramática da Língua Portuguesa
Autor: Domingos Paschoal Cegalla
Editora: Companhia Editora Nacional
Gênero: Gramática
Páginas: 693p.